Skip to main content

O Inbound Marketing é o grande responsável por você estar aqui e talvez torne-se a figura principal para o seu negócio.

 

Afinal, é por meio dele que você atinge o seu público-alvo e o faz converter o desejo em atitude.

Steve Jobs possui uma frase que, embora não tratasse deste assunto, resume bem a cabeça de qualquer público-alvo, independente do nicho de atuação do empreendedor: “As pessoas não sabem o que querem até você mostrar a elas”.

Se você acredita nessa frase, a verdade é que a aplicação do Inbound Marketing se tornará mais fácil. Dessa forma, a partir de agora preste muita atenção em cada informação, pois o seu negócio será mudado para melhor.

O que é o Marketing de Permissão?

Responda com sinceridade: tem alguma coisa pior do que receber ligação de telemarketing e saber o motivo? Certamente que não, mas a razão disso é que a empresa que te liga ainda não sabe o que é marketing de permissão.

Trata-se de uma modalidade de marketing que trabalha com o consentimento do cliente para tudo. Nesse cenário, a comunicação só acontece após a autorização do consumidor, independente do que seja comunicado.

Pode até parecer algo que acontece por acaso, mas para chegar a esse objetivo é importante estimular e provocar o consentimento. É por meio dessa tática, que você irá atrair o seu público-alvo com ações diferentes.

A ideia é usar estratégias mais generalistas, por exemplo: anúncios, textos em blogs e postagens nas redes sociais. Sendo assim, o usuário toma conhecimento das informações e autoriza o recebimento de outros conteúdos.

Seria assim: Você recebe uma visita no seu site e pede para o usuário inscrever-se para receber newsletter, a resposta sendo positiva você trabalha outras estratégias e inicia o cliente na jornada de compra.

Relação entre Marketing de Permissão e Inbound Marketing

É provável que você esteja pensando na relação que existe entre o Inbound Marketing e o Marketing de permissão. A realidade é que ambos possuem ligação vital, já que tem o mesmo objetivo: conquistar atenção do público.

As estratégias dos dois é focar em comunicação em ambiente digital e principalmente com naturalidade e espontaneidade. Portanto, a utilização de muitas “iscas” é comum e o objetivo é sempre ter o cadastro do cliente.

O passo seguinte é a autorização do envio de mensagens, desde que seja com muita qualidade. Aliás, destaca-se o fato de essa tática ser inerente ao Inbound Marketing e provar o fato de ambos terem muita ligação.

Outras estratégias também são permitidas, como por exemplo: posts em blog, ebooks, e-mail marketing. Em outras palavras, pode-se afirmar que o Inbound Marketing depende do marketing de permissão e vice-versa.

Para não cair no exemplo das empresas de telemarketing que incomodam e não convertem, é importante que o cliente consinta o contato. Depois disso, cabe a ti trabalhar fortemente as melhores estratégias e convertê-lo.

O que é o Inbound Marketing?

O Inbound Marketing pode ser definido como um conjunto de estratégias de marketing e que baseia-se na criação, bem como no compartilhamento de conteúdo segmentado para um público-alvo definido no início.

A meta é conseguir a permissão para seguir a comunicação com o cliente em potencial de maneira direta. Ao mesmo tempo, a criação de um relacionamento duradouro é uma premissa que permeia todo o processo.

A estratégia principal é que a mensagem faça o cliente vir até ti, a partir disso você mostra o “remédio” para a “dor” que ele tem. De alguém interessado, se torna um cliente e depois pode tornar-se até um promotor da sua marca.

Vale lembrar que uma das traduções de Inbound Marketing é “Marketing de Atração”. Deixando a modéstia de lado, eu utilizei essa estratégia para que você chegasse até o conteúdo criado e pudesse usufruir dele.

Quais são os três objetivos do Inbound Marketing?

Agora que você já entendeu o que é Inbound Marketing e viu a ligação com o marketing de permissão, é necessário entender os três objetivos que há. A melhor alternativa disponível é conhecer quais são eles, não é mesmo!?

É necessário saber, antes de mais nada, que as fases de conversão, venda e fidelização dos clientes. Desse modo, veja cada um deles e obtenha os detalhes necessários para aproveitar uma por uma no seu negócio.

 


1. O que é converter?

Acredite em mim: sem converter os visitantes em leads e, em seguida, em clientes, nada dará certo. O processo consiste em atrair o público-alvo interessado no seu nicho de atuação para o seu blog ou as redes sociais.

É justamente por meio disso que dá para aumentar as chances de converter os seus visitantes em leads. Logo após, cabe uma criação e compartilhamento de conteúdos relevantes e interessantes, concorda comigo!?

Há excelentes caminhos disponíveis, como por exemplo: landing pages e também as call to actions. No entanto, lembre-se: o desafio é aproximar-se mais dos seus leads e por isso é fundamental ter uma comunicação objetiva.

 


2. O objetivo de vender

Em primeiro lugar, vender é uma consequência da conversão, mas sem ela você não consegue lucrar. Para conseguir fazer o lead se tornar cliente, comunique-se bem e utilize as melhores estratégias de marketing digital.

O uso de um e-mail marketing é primordial e também das ferramentas de automação que a estratégia possui. Afinal, existe o potencial de aproximar-se mais do seu lead e consegue levar o cliente com conteúdo certo.

Ao usar essas plataformas, saiba que você consegue fazer o cliente percorrer o lead no funil de vendas. Além disso, dá para utilizar o Facebook e WhatsApp, para realizar as vendas e cair no terceiro objetivo que possui.

 


3. O que é fidelizar e por que você deve encantar o cliente?

O último objetivo é a que mais as empresas deixem de lado e acabem sofrendo depois, certo!? Trata-se de fidelizar e encantar o cliente, já que a venda traz o início de outra jornada, que é a de manter esse cliente.

A meta não é apenas de fazê-lo comprar outra vez, pois é fundamental que ele divulgue a sua marca. Assim, ao realizar uma venda você deve seguir trabalhando os conteúdos de marketing para que o pós-venda aconteça.

O Inbound Marketing deve manter canais de comunicação abertos e adequados para o ambiente a ser trabalhado. Lembre-se: é mais caro e difícil conquistar novos clientes do que manter aqueles que você já tem.

O que é Lead?

Lead nada mais é do que um cliente em potencial e trata-se de pessoas que são atraídas pelo seu produto ou serviço. Contudo, é preciso diferenciar com os visitantes, detalhe: visitar por visitar não significa ter interesse naquilo.

Um lead é alguém que topa, por exemplo, cadastrar-se no seu negócio e receber negócios conteúdos exclusivos. Lembra do Marketing de Permissão? Então, é por meio dele que você vai trabalhar essas estratégias.

Assim que um lead for conquistado, não se esqueça que você precisará nutrir a relação com a pessoa. Assim como citado acima, as relações precisam durar e sempre se preparando para o passo superior.

Como funciona o Inbound Marketing?

O Inbound Marketing não tem um funcionamento muito complicado de ser entendido, porque consiste em 7 pontos essenciais. Em suma, é necessário conhecer cada um deles e atentar-se a esse fator:

 

Marketing de Conteúdo

O processo de produzir conteúdo é primordial para que o marketing de atração funcione melhor. No entanto, para chegar a esse resultado é preciso trabalhar com assertividade e ter um conteúdo atrativo, interessante e real.

 

Jornada de compra

Destaca-se um fato: não é preciso apenas conquistar mais clientes, é crucial transformá-los em clientes. Do mesmo modo, o desafio é usar a jornada de compra e esse conteúdo é muito interessante.

Pense em um homem que está dentro do shopping e procura por um brinquedo para dar ao seu filho. Em dúvida, o cara não sabe se compra uma bola de futebol ou a camisa do Porto, mas enxerga uma coisa na vitrine: “Promoção de carrinhos de controle remoto”. Ele entra na loja, olha os modelos e decide comprar o modelo licenciado da Ferrari.

É provável que você pense no motivo para isso estar aqui, não é mesmo!? Para que a compra aconteça, concorda que o cliente passou por toda uma jornada de compra e uma etapa foi importante para a outra?

A verdade é que isso acontece na internet, pense que o shopping é o ambiente on-line, a promoção representa o marketing de conteúdo e nos dois casos há um interesse mútuo: converter o interesse em ato de compra.

Estágios

A jornada de compra é um tipo de roteiro que todo cliente precisa percorrer antes de decidir pela aquisição. Nesse sentido, dá para dividir em quatro estágios importantes, são os seguintes:

Descoberta:

Muitos consumidores não sabem que precisam de um problema, mas procuram conteúdo sobre aquele assunto. O trabalho de informar é positivo e garante que o sucesso possa acontecer, certo!?

 

Problema e oportunidade:

Ao saber mais informações sobre o assunto, a realidade é que um problema já foi detectado. A partir disso, uma oportunidade surge e a pessoa passa para o próximo estágio.

 

Solução:

É fundamental que o consumidor saiba ressaltar que o seu produto/serviço é a solução para a “dor” do cliente”. Assim, a sua persona tem que entender que aquilo é a melhor opção para ela.

 

Compra:

Por fim, é a hora de tomar a decisão final e por isso é o momento de compra. Dá para usar alguns gatilhos mentais, por exemplo: escassez, urgência, bônus e promoções, entre outras coisas.

Embora pareça complicado, você verá ao longo do texto que utilizar esses recursos é mais fácil do que você imagina para o seu negócio. Ou seja, fique calmo e não age que é impossível de entender, pois a realidade é outra.

Personalização e Interação

Se o seu conteúdo é exclusivo e personalizado, a chance de fazer a diferença é cada vez mais. O processo de interação também está incluído, uma vez que melhora a reputação do seu produto ou serviço.

Definição de Persona

Persona nada mais é do que um personagem semifictício e representa o seu cliente ideal, funcionando como um link para você atingir o seu público. Para auxiliar no entendimento, confira um exemplo sobre como acontece:

  • Nome – Margarida
  • Idade – 19 anos
  • Sexo – Feminino
  • Estado civil – Casada
  • Hobbies – Séries, música e vinhos
  • Localização – Lisboa
  • Profissão – Estudante
  • Interesses – Redes Sociais, Internet, ganhar dinheiro on-line
  • Horários de acessos – durante todo o dia
  • Plataformas de acesso – Smartphone e desktop

Cada um dos pontos mostrados no exemplo deve ser tratado, pois essa é etapa que constrói a sua persona. Mas é necessário ir além disso e responder algumas perguntas, são elas:

O que Margarida curte ler no seu blog?

Quais os horários que ela acessa o seu site?

Há outro site que ela também acessa?

Ela prefere comprar por loja física ou digital?

Vale lembrar que você pode definir a persona de algumas formas, como por exemplo: entrevistas, pesquisas, internet e métricas on-line (Facebook Insights e Google Analytics).

Estratégia em Multicanais

É fundamental estar onde os seus clientes estão, concorda que não dá para ficar em apenas um local? Certamente e por isso a dica é estar no site, blog e nas redes sociais, sempre com bons gatilhos mentais e aumentando as chances de vender.

Funil de vendas

Lembra quando falei da jornada de compra e trouxe as informações sobre os estágios, todos eles caem no funil de vendas. Ou seja, é um modelo estratégico que aborda toda a jornada de compra, é dividido em etapas:

  • Topo – A proposta é ter um bom aprendizado e descoberta, etapa em que você deve apenas informar o seu cliente.
  • Meio – Quando o cliente é informado, o passo seguinte é ajudá-lo a reconhecer o problema e fazê-lo considerar também a solução.
  • Fundo – A fim de finalizar, é primordial trabalhar ainda outra etapa: a decisão de compra do seu cliente.

Sem usar o funil de vendas, lembre-se: será muito complicado ter uma jornada de compra adequada a sua persona. Não se esqueça de outra coisa: o leed precisa passar por todos os estágios para que o processo funcione.

Fases do Inbound

Aprender quais são as 4 fases do Inbound Marketing é crucial, acredite- muda o seu negócio de patamar. No entanto, antes de explicar sobre elas é necessário saber quais são: atrair, converter, relacionar, vender e analisar.

Cada fase tem a sua importância e prepara o terreno para o outro, com todos detalhes necessários. Confira mais informações nos próximos tópicos e descubra o potencial que está diante de você com esses estágios.

Atrair

Se um site não tem visitas, automaticamente a venda não acontece e por isso a busca é por ter mais público. A etapa inicial consiste em não perder tempo procurando pessoas interessadas, porque é melhor focar na qualidade.

Se você construir algo digno de atenção e for diferenciado dos demais, as pessoas acessam com mais espontaneidade. Entretanto, tem um ponto que deve ser analisado- as principais ferramentas disponíveis. São elas:

  • Blog;
  • Textos otimizados para mecanismos de buscas;
  • Redes sociais;
  • Links patrocinados.

Não basta apenas atrair o público, consiga engajá-lo e deixar o ambiente mais fértil para consumir o seu conteúdo. Em suma, toda pessoa que está engajada tem mais condição de promover o seu produto com mais facilidade.

Converter

Atrair é a primeira fase, mas a conversão é a segunda e pode ser resumida em uma frase- fazer o lead avançar para a etapa de compra. Ou seja, é necessário obter sucesso na conversão e tem um caminho bem interessante.

Trata-se de oferecer uma recompensa ou benefício, complementando o material, mas lembre-se- ter apenas visitantes e não gerar conversão, é ruim. Por consequência disso, o detalhe é oferecer um material rico para converter.

Há caminhos disponíveis, por exemplo- é criar ofertas diretas, portanto, inserir pedidos de orçamento, teste gratuito e outras. As ofertas indiretas tem a proposta de educar o lead, como acontece com os ebooks, webinars, etc.

Relacionar

Conforme o cliente avança na jornada de compra, a realidade é que muitos deles ficam no meio do caminho. Nesse cenário, lembre-se que alguns desejam apenas se informar e não avançam no funil de vendas, não é mesmo!?

A minoria das pessoas busca a solução, ou seja, a decisão de compra, então não adianta trabalhar conteúdo apenas para isso. Por outro lado, a maioria do público quer ser informada e receber auxílio para reconhecer o problema.

Se você toca na “dor” que ele tem, a atração acontece e a conversão acontece, já que você criou relacionamento. Porém, o Inbound Marketing ainda tem mais duas etapas e que complementam as anteriores.

Vender

Você atraiu, converteu e criou uma relação com o cliente, o passo posterior é o de vender. De modo geral, quanto mais complexo for, a chance de o ticket ser maior existe, e traz a uma nova maneira de vender.

A venda consultiva tem papel central de nutrir o papel de nutrição de leads para que a venda seja concretizada. Essa mudança é necessária para que o lead possa percorrer toda a jornada de compra sem maiores percalços.

Há um ponto no Inbound Marketing que muitos gestores não prestam atenção: a naturalidade da venda. O ideal é que o cliente compre com naturalidade e sem perceber, porque a relação auxilia justamente nisso.

Analisar

A avaliação dos resultados é muito importante, porque compra o retorno dos investimentos com base nos fatos. A grande vantagem que o Marketing Digital traz é uma mensuração de resultados muito mais barata.

Dá para monitorar cada etapa e a ação do Inbound Marketing, incluindo as interações com o seu público com sites, posts e também as campanhas. O trabalho é mais ágil e inteligente, detectando o sucesso de cada ação.

Uma excelente ferramenta para saber sobre o andamento é usando gratuitamente o Google Analytics e usufruir do potencial que essa Web Analytics tem, dentro dela você tem um raio-X sobre tudo.

Por exemplo: acessos, local de origem, posts com mais tráfego, regiões com cliques, origem do acesso (se foi por desktop ou dispositivo móvel). Enfim, é a opção perfeita para entender a parte gerencial do seu website.

Por que investir em Inbound Marketing?

O objetivo do texto é de trazer uma linguagem mais acessível e prática, fugindo das expressões mais técnicas e complicadas. Isso, todavia, não é tudo e por isso é necessário explicar as vantagens do Inbound Marketing:

  • Melhor custo-benefício – Por englobar tudo, o marketing de atração é ideal para atrair clientes de várias formas. Seja com conteúdo orgânico ou pagamento de uma campanha, você precisa ter qualidade.
  • É um investimento acessível – Saiba que, antes de mais nada, você não terá um gasto e sim uma forma de investir. Cada novo visitante que acessa o site é alguém que pode comprar o seu produto/serviço.
  • Segmentação do público – Para que o cliente chegue em você, concorda que foi necessário usar a jornada de compra? Por conta disso, dá para segmentar o público e trazer ao site apenas leads.
  • Fácil de mensurar os resultados – Lembra quando falei sobre o Google Analytics e a mensuração de resultados? São excelentes opções, mas também tem os insights do Facebook e Instagram.
  • Cria autoridade sobre a marca – Se você entregar um produto ou serviço de qualidade e o texto ressaltar isso, você se torna um especialista e passa a ser uma autoridade dentro daquele nicho.
  • Automatização do processo de vendas – Há textos que vão converter por 2 ou mesmo 3 anos e automatizam o processo de vendas, bem como o uso do e-mail marketing e outras estratégias.
  • Traz processos interativos e mais eficientes – Interação é a palavra da vez e os seguidores buscam exatamente isso. A eficiência é conseguida quando você entrega aquilo que o seu público deseja.

Fica claro que os sete benefícios oferecem para você duas coisas: escala e eficiência. Em outras palavras, o Inbound Marketing aumenta as suas vendas e traz economia, basta ter uma estratégia interessante.

Como investir em Inbound Marketing?

Como vê, investir em Inbound Marketing não é algo impossível, embora também seja verdade que não é tão fácil. Por ser uma estratégia trabalhosa, é indicado investir em uma agência que tenha anos de experiência em estratégias de Inbound Marketing.

Por isso pode contar com o apoio da Getboost Digital, justamente para trazer mais eficácia para a transformação digital do seu negócio para obter maior escalabilidade.

Sua solicitação não pôde ser validada.
Você efetuou a solicitação do Diagnóstico + Consultoria de Marketing Digital com sucesso.

Quer Aumentar suas Vendas através do Marketing Digital?

Receba gratuitamente um Diagnóstico de Marketing Digital + Consultoria da Getboost Digital personalizada para o seu negócio!

Deixe um comentário

Close Menu

Portugal
Rua Passeio Infante Dom Henrique, 22 1º Andar Lj 33 Mercado de Ideias – Figueira da Foz
+351 233 209 525
+351 931 834 830
hello@getboost.digital

Brasil
Rua 104, Cj da Cohab, Cacimbas, Itapipoca
+55 88 99317 7372
contato@getboost.digital